Nikon Nikkor 24-70mm f/2.8 G ED-IF AF-S





Passados vários meses a testar e a fotografar com esta Nikkor eis que chega a altura de opinar sobre a mesma.
Em 2008/2009 o prémio de melhor objectiva profissional do ano, atribuído pela EISA coube a duas Nikkor, a saber, a Nikon Nikkor 14-24mm G ED-IF AF-S e a 24-70mm G ED-IF AF-S. A primeira já foi alvo de testes e opinião há uns tempos atrás. Agora cabe a vez à 24-70mm.

Todo este artigo de opinião acerca da mesma é feito tendo em consideração alguns aspectos, no que concerne à evolução tecnológica e estética, comuns à aludida 14-24mm e ao mesmo tempo, em comparação, com a objectiva que este modelo veio substituir: a Nikkor 28-70mm ED-IF AF-S.

Desde logo, e tal como acontece com as outras objectivas acima referidas, esta é uma objectiva construída a pensar no formato FX (24x36mm). Algo que não testei, pois a opinião é, mais uma vez, baseada no formato DX (16x24mm).

Feitas estas considerações vamos ao que interessa...

 

Manuseamento:

O tamanho e o diâmetro desta objectiva diferem substancialmente da 28-70mm. Sendo um pouco mais comprida é, todavia, mais pequena em diâmetro. A sensação que temos é que estamos perante uma objectiva “mais próxima” das objectivas de gama “consumer” sendo por isso um pouco mais discreta que o anterior modelo.

Conhecendo uma e outra, esta é a primeira impressão que se fica somente ao olhar para a mesma. Porém mal a começamos a manejar rapidamente ficamos bem impressionados e percebemos o porquê de ser considerada uma objectiva “profissional”.

De igual modo à “irmã” 14-24mm o funcionamento é suave e preciso e a sua construção é excelente! Este é um dos aspectos em que difere da 28-70mm que tem uma aparência mais robusta mas tem um funcionamento menos suave e menos preciso.

Com uma Nikon D200 equipada com punho vertical o equilíbrio, apesar de bom, pareceu-me um pouco pior do que com a 28-70mm. Porém, existe a vantagem, por um lado, de ao empunhar a mesma não se correr tanto o risco de tocar inadvertidamente no anel de focagem aquando da aquisição da foto em AF desfocando deste modo – algo que acontecia com mais frequência no anterior modelo. Em contrapartida, essa diferença na localização do anel de focagem, faz com que, quando se trabalha em foco manual, seja um pouco mais difícil utiliza-lo porquanto, a meu ver, a posição ideal seria um pouco mais próxima do corpo da câmara.

O sistema de motorização AF-S (SWM) parece-me, tal como o da 14-24mm, ser de uma nova geração, pois é notoriamente mais rápido, preciso e silencioso! O facto da Nikon ter diminuído o diâmetro da objectiva faz também transparecer isso. Dá-me a ideia que existe uma nova geração de motores que ocupam menos espaço e bem mais eficazes.

 

Sendo já um preciosismo, e talvez não, pois faz parte da comodidade e conforto no uso não deixo, no entanto, de referir que o parasol da 24-70mm (HB-40) encaixa/desencaixa com muito maior facilidade no corpo da objectiva do que o da 28-70 (HB-19). Tem inclusive um pequeno botão que acciona uma mola de maneira a tornar mais fácil retirá-lo da objectiva.

O diâmetro e desenho desta objectiva tornam-na menos confortável, no que concerne ao seu transporte, quando comparada com o anterior modelo, designadamente quando “andamos” com a câmara/objectiva na mão segurando o conjunto somente pela objectiva.



Construção:

Tal como já o era o anterior modelo, esta 24-70 continua a ser robusta e pesada. As 900g que adicionamos à câmara ao "montar" esta objectiva fazem-se de imediato sentir!

Esta passa a ser outra das poucas objectiva que possuí que são da série G, uma vez que não tem anel de aberturas.

A utilização do vedante em borracha com vista a isolar ou diminui a entrada de poeiras entre a câmara e a objectiva pela zona do encaixe da baioneta continua a ser uma presença neste nível de objectivas destinadas a um uso mais intensivo e “despreocupado”.

Como já foi referido os anéis de focagem e de distâncias focais têm um funcionamento muito suave e preciso.

A frente da objectiva bem assim como o seu corpo é de construção metálica (embora a sensação seja de menor espessura e resistência que a 28-70).
O botão selector AM/M para uma instantânea transição de foco A(F) (foco automático) para M (foco manual) ou optar unicamente pelo modo manual M é agora um pouco mais pequeno e também mais difícil de accionar. Com a câmara na posição de captar fotos (estando a olhar pelo visor) esta comutação é um pouco difícil de efectuar face à “dureza”, ao pequeno tamanho e á força necessária para fazer deslocar o botão de posição, obrigando a mudar a câmara para uma posição mais cómoda para o efeito.


 



Em utilização:

Um dos aspectos importantes a ter em conta quando adquirimos uma objectiva é saber até que ponto, além proporcionar imagens definidas, ela é precisa em termos de auto-focagem.

Na realidade, nos dias de hoje, com toda a tecnologia usada na construção de objectivas designadamente quanto aos sistemas de focagem, não faria qualquer sentido comprar uma equipada com sistema AF-S e que o mesmo não fosse fiável.

Pois é, mas mesmo nesta gama de objectivas, também existem diferenças e no caso concreto da objectiva em causa neste teste fiquei positivamente surpreendido pelos poucos erros que verifiquei. A anterior 28-70mm apesar de bastante precisa em termos de AF fica um pouco aquém da “nova” 24-70mm. De facto, esta objectiva é extremamente agradável de usar no que concerne á focagem. Aliado ao facto de uma focagem surpreendentemente rápida e silenciosa, como acima já referi, não existe aquilo a que vulgarmente se denomina de “lens hunting”. Traduzindo esta expressão, ou melhor ainda o seu significado, não existe nesta objectiva aquele “procurar” de aquisição de foco que percorre toda a extensão de focagem desde o seu mínimo até ao infinito e regresso até consegui “encontar” o objecto que pretendemos focar. Ou seja, dificilmente a objectiva, depois de focado um objecto, lhe perde o “rasto” e vagueia por todas as distâncias até o encontrar de novo.
(acerca deste aspecto “tirei a prova dos nove” aquando do Coimbra Airshow 2009 em que fiz algumas experiências, em situações limite, e os resultados comparativamente à outra objectiva que tinha na altura comigo, uma Nikkor 80-400mm f/4.5-5.6 VR ED-IF AF-D, foram surpreendentes! Claro que ambas as objectivas não são sequer comparáveis mas o que senti foi que, mesmo em focagem contra-luz e a “seguir” objectos, no caso aviões em condições adversas, a 24-70mm supera a focagem da 80-400mm mesmo quando em situações ideais! – comparação feita a 70mm e a 80mm, respectivamente, entre as duas objectivas)

A distorção de imagem, caso se use uma câmara de formato DX é um assunto para esquecer pois pelo menos pela simples visualização de imagens (sem o rigor dos testes de laboratório) desde os 24mm aos 70mm não é relevante. Quanto à sua utilização com o formato para o qual foi especificamente construída, ou seja o FX (full format), nada posso referir porquanto não testei… isso fica para quando vier por aí uma D700 ou D3…!

Algo que me custa um pouco a compreender é porque é que a Nikon continua a não dotar estas objectivas zoom de distâncias “normais” com o seu sistema de redução de vibrações denominado VR. Curiosamente outros modelos inferiores, como por exemplo a Nikkor 18-200mm VR possuem-no! Não posso crer que seja por uma questão de não confiança na durabilidade do mesmo pois também os modelos “pro” bem mais caros, de igual modo, o têm! Veja-se a Nikkor 600mm f/4 G ED VR!

Quanto a este aspecto, se no caso da 14-24mm achei que este efectivamente era desnecessário naquela objectiva (que, diga-se, também não o possui) já nesta 24-70mm o mesmo poderia ser uma mais valia.



Tamanho:

Como já referido, as dimensões desta 24-70mm variam um pouco da sua antecessora. Um dos aspectos que considero digno de nota é o facto de, contráriamente à Nikkor 28-70mm que achei ser uma objectiva pouco discreta face ao seu grande diâmetro, esta 24-70mm, por sua vez, ser estreita apesar de bastante comprida (para objectiva zoom “normal”). Em baixo, embora as fotografias não estejam proporcionais (erro meu, erro meu… que me esqueci desse pormenor…), dá para perceber as diferenças de tamanho à medida que variam as distâncias focais. O seu comprimento máximo atinge-se quando a objectiva é usada na distância focal de 24mm.


Com parasol montado, o seu tamanho mantêm-se inalterado a todas as distâncias focais…


 
Qualidade óptica:

Pode parecer um pouco estranho mas a objectiva que usei para comparar e testar a qualidade óptica desta recente Nikkor 24-70mm AF-S, foi um a”velhinha” Nikkor 50mm f/1.4 AI a qual considero uma referência! Mais abaixo poderão encontrar o link a esse teste.

Cor - comparativamente à 28-70mm a diferença que noto em relação à qualidade de imagem não tem tanto a ver com a definição (pese embora também quanto a este aspecto haver melhorias) mas sim com a coloração. A “nova” 24-70mm transmite umas cores mais profundas e intensas (um pouco á semelhança da Nikkor 50mm AI).
Bokeh - muito suave e agradável. O seu melhor nível atinge-se a 70mm f/2.8 nos limites mínimos de focagem em que é quase comparável à teleobjectiva Nikkor 80-200mm f/2.8 ED AF a 200mm!! Certamente que para se obter este tipo de desfoque contribuem as nove lâminas redondas do diafragma.
Flare - é algo com que praticamente não temos de nos preocupar com esta objectiva. Este é um dos aspectos que a Nikon soube melhorar em relação à antecessora Nikkor 28-70mm! Não digo que não exista, uma vez que só a testei em formato “DX” mas, neste formato, mesmo em situações criticas, o controle de reflexos foi muito bom (na realidade, até agora, ainda não o observei de modo evidenciado em nenhuma fotografia!)
Recorte - Quanto ao recorte, esta objectiva é absolutamente fantástica!


Raramente aparece uma objectiva que me surpreenda, quanto à qualidade da imagem. Esta foi uma das que me fez dizer “wow”…isto sim é “melão de Almeirim”!

A qualidade de imagem, na verdade, está num nível acima de muitas outras objectivas da Nikkor, mesmo de gama designada de “pro”. A plena abertura máxima (f/2.8) é extraordinária… e por aí fora….

Efeito das 3 lentes ED, das 3 AS (aspherical lens) e da tecnologia “Nano-cristal coating”??? Também, mas não só! De facto toda a qualidade de construção empregue no fabrico desta objectiva contribui para isso. A inexistência de folgas nos anéis de focagem e de selecção de distância focal, a precisão do foco, a solidez do seu interior (claro que não a desmontei para verificar, mas basta “abanar” e verificar a relação tamanho/peso para facilmente concluir que o seu interior é metálico) …

Geralmente falo mais do que não gosto do que daquilo que gosto, por isso, quanto a este aspecto não vale a penas falar mais. Gostei!

Teste à Q.I. (comparativo): Teste objectivas Nikon Nikor 50mm

O que menos gostei (alguns pormenores…):
  • Estética: demasiado fina e comprida (esteticamente, e gostos são gostos…., continuo a achar o anterior modelo (28-70mm) mais apelativa e com aspecto mais robusto e “pro”.
  • Ergonomia: Como penso que já ter referido, esta objectiva não é ergonómica sob o ponto de vista de transporte “à mão” quando com o parasol encaixado de forma invertida no corpo da objectiva (o parasol fica bastante afastado e estamos continuamente à procura do sítio “certo” para a segurar. Isto, claro, que no caso de não segurarmos o conjunto pela correia ou somente pelo corpo da câmara)
  • Uso com parasol: Claro que o parasol se destina ao uso em exteriores… mas caso façamos uma passagem do exterior para o interior (ou zona mal iluminada) onde se active o iluminador de focagem (exceptuando as câmaras Nikon D1,D2 e D3 que não o possuem) o parasol tem mesmo de ser retirado pois obstrui parcialmente a passagem proveniente do iluminador auxiliar de fogagem da câmara impedindo, deste modo, a correcta focagem do motivo.


Em suma:

Depois de tudo o que acima foi dito resta-me dizer que gosto mais das fotografias que saem desta objectiva que da objectiva em si. Mas é precisamente para isso que ela serve, não?

Ponderando tudo o que foi dito e comparativamente a outras objectivas Nikkor “normal zoom” (gama de distâncias focais normais) tento-me a dizer que esta, até ao momento, é a melhor objectiva alguma vez construída pela Nikon que usei! A precisão de exposição foi, sem dúvida, melhorada em relação ao anterior modelo. Agora podemos confiar na medição efectuada “through the lens” (TTL)!!! Na realidade o controle de exposição que permite é mesmo muito bom. A necessidade de recurso amiúdo às compensações de exposição finalmente acabaram! Estou a “bater um pouco o pé” neste assunto mas esta foi uma das substanciais melhorias que mais apreciei e que fez com que sentisse que (além do facto de ganhar um pouco mais de ângulo de imagem em ralação à 28-70mm) valeu a pena a mudança. Os histogramas assim o confirmam!

Alternativas a esta objectiva zoom (neste nível)? Não conheço! O único senão? Tal como no caso da Nikkor 14-24mm, o preço!

Qualidade Óptica
★★★★★
Qualidade de Construção
★★★★★
Versatilidade
★★★★
Manuseamento
★★★★★
Valor
★★★★★
 

32 comentários:

Nascimento disse...

Quero comecar desejando a todos um feliz 2011!

Sou fotografo amador e estou planejando a troca de meu equipameto atual

Nikon D300S
Nikon 35mm f 1:18
Nikon 18-200mm 1:3.5/5.6

Como o investimento eh alto, gostaria de sua opinao qaunto ao quipamento pretendido.

Nikon D700
Nikon 14-24mm 1:1:2.8
Nikon 24-70mm 1:1:2.8
Nikon 70-200mm 1.1:2.8
Nikon TC-14E II 1,4X (teleconverter)

Por favor, voce acha que devo aguardar fevereiro, quando deve ser lancada a substituta da D700?
Devo aguardar o lancamento da versao VR desta lentes?
Abracos
Nascimento

José Loureiro disse...

Caro Nascimento,
Se tem intenções de “trocar” de formato DX por FX, dado que a D700 já foi descontinuada há muito tempo penso que, nesta altura, valerá a pena esperar mais um pouco. Talvez até Abril/Maio de 2011, altura em que, eventualmente, poderá já estar à venda um novo modelo… Se alguns rumores corresponderem à verdade, pode bem ser que seja desta feita que finalmente seja lançada a Nikon D800… Se assim for, terá de ser uma câmara competitiva (mesmo que mais cara, a qualidade terá de valer o preço…) face ao modelo da “concorrência”…
Quanto às objectivas, a 70-200mm tem sistema VR. Inclusivamente a do modelo actualmente em venda que é denominado de VR II.
Depois, quanto às outras duas que pondera não tenho, até ao momento, qualquer conhecimento ou indicação que venham a ser comercializadas com sistema de estabilização… De qualquer modo, penso que, pelo menos a 14-24mm dispensa bem esse sistema….
Por último quanto á opinião que tenho sobre as indicadas objectivas, exceptuando a 70-200mm é aquela que consta do que escrevi acerca das mesmas… Excelentes, com um único senão: O preço!

Nascimento disse...

Obrigado pela resposta, tenho um pensamento muito semelhante ao seu, mas me sinto confortavel em ouvir a opiniao de um profissional com "tantos anos de janela"
Abracos do Brasil.
Nascimento

Raphael disse...

Olá José!

Tenho uma 10.5mm fisheye 2.8 DX NIkon. É uma lente desenvolvida exclusivamente para maquinas dx. Estou comprando uma full frame, como será o desempenho dessa lente nessa máquina (fx)? será criada uma vinheta de corte nas laterais? acessar o menu da camera e mudar de fx p/ dx enquanto utilizo essa lente seria uma boa?

aguardo sua opinião para ponderar minha decisão.

Obrigado!

José Loureiro disse...

Olá Raphael
Efectivamente, no caso de utilizar a Nikkor 10,5mm numa câmara de formato FX terá problemas com cortes na imagem. Apenas poderá aproveitar a parte central.
A vinhetagem (neste caso, intensa) será visível em toda a margem da fotografia - quer horizontalmente, quer verticalmente! A parte mais notória será, obviamente, na horizontal.
A maneira de continuar a usar esta objetiva será proceder a “crop´s” em pós-produção ou usar o modo DX na câmara… Quer duma maneira, quer da outra, não poderá na realidade tirar todo o partido da objectiva como num corpo DX para a qual foi especificamente desenhada e construída. Em todo o caso sempre acho preferível a segunda opção.
Grande parte da vinheta (corte a negro), caso use a câmara no modo FX, será responsabilidade do parasol que ainda por cima é integrado…
Cumprimentos

Lidiane disse...

Boa tarde Loureiro!

Trabalho com eventos e feiras e estou tendendo a investir em uma 24-24 2.8 e uma 24-70 2.8 pois acredito ser um bom investimento para esse segmento; Mas como é sempre bom a opinião de quem sabe tanto como vc, o que acha, farei uma boa compra? Afinal o investimento é beem alto!
obs: tenho uma D700.
Obrigada pela atenção

José Loureiro disse...

Olá Lidiane.
Quanto às duas zoom que pondera comprar, a 14-24mm f/2.8 e a 24-70mm f/2.8, não tenho muito mais a dizer além do que já referi nos artigos que escrevia no blog acerca de cada uma delas…
A minha opinião é que, actualmente, são as melhores zoom’s, dentro da distância focal de cada uma delas, que a Nikon produz!
O único senão (como acho que também referi) é o seu preço! Mas acabam por valer o que custam pois quer a qualidade óptica, quer a qualidade de construção, é realmente boa.
Numa D700 estarão como “peixe na água”! Ambas as objectivais foram construídas a pensar no formato FX!
A única coisa que deveremos ter em conta (uma vez que como disse, e bem, o investimento é grande) é se, para os nossos recursos e para a utilização que pretendemos justifica, ou não, o preço a pagar… mas isso só a cada um de nós, por si mesmo, é que cabe decidir!
Cumprimentos

jobravo disse...

Jose Loureiro, tenho uma D90 e estou a procura de uma lente clara com zoom, jah tenho uma lente fixa de 35mm 1.8, devido ao preço alto da NIKON, pesquisei o mesmo modelo (24-70 2.8) da marca Sigma e gostaria muito saber do seu parecer?
abraços
Johnny

José Loureiro disse...

Johnny,
Não lhe posso dar uma opinião (comparativa) que seja válida pois nunca usei a Sigma em causa.
Cumprimentos

jobravo disse...

Obrigado Jose Loureiro, preferi não arriscar na Sigma, estou de olho numa 35-70 2.8D da NIkon, o preço é bem mais em conta, o que achas??abraços

José Loureiro disse...

A Nikkor 35-70mm é uma objectiva rápida, robusta e, pelo menos em câmaras analógicas, opticamente os resultados eram bons. Actualmente, penso que um dos motivos de se conseguir comprar estas objectivas “em conta” prende-se com a razão de que, quando usada numa câmara digital, estas zoom’s terem um senão… A gama de distância focais não se adapta a uma série de situações que esperaríamos duma zoom “normal”. Numa câmara com sensor de formato APS-C (DX) equivale a uma objectiva de cerca de 52-105mm “obrigando”, por exemplo para fotografar interiores, a adquirir uma grande angular para completar as distâncias focais mais curtas.
Cumprimentos

! disse...

Olá José tudo bem?
Meu nome é Bruno Haddad sou de Belo Horizonte..
Gostei muito do seu blog e queria uma dica sua.

Estou com uma D90 Nikon, e graças a Deus fazendo bons e grandes eventos. A principio nao consigo comprar um SB900, mas surgiu a oportunidade de adquirir SB600.
Você acha que ele vai segurar bem os eventos?

Satisfação

Bruno Haddad

Conheça - www.artemusicasoul.blogspot.com

José Loureiro disse...

Olá Bruno.
A sua dúvida é a mesma dum outro leitor do blogue e a resposta que lhe dei na altura continua a ser aquilo que acho...
Diferenças principais entre os SB.600 e SB-900:
Além do preço...
• Nº guia (determina a potência do clarão): SB-600 = 30; SB-900 = 34
• Ângulo de cobertura: SB-600 = 24 a 85mm; SB-900 = 24 a 200mm (c/difusor SB-600 = 14mm e SB-900 = 12mm)
• Ângulo de rebatimento: SB-600 = 0 a 90º; SB-900 = - 11 a 90º
• Tempo min. de reciclagem: SB-600 = 2,5 seg.; SB-900 = 2,3 seg.
• Modos: SB-600 = só como Remoto; SB-900 = Remoto e Comando
• Fracções de potência: SB-600 = 1/64; SB-900 = 1/128
• Identificação automática de filtro de correcção de temperatura de cor: SB-600 = Não; SB-900 = Sim
• …
Quanto a mim, apesar de tudo, as diferenças mais relevantes serão a potência e o ângulo de cobertura.
Por isso, praticamente pode fazer o mesmo com a SB-600 do que com o SB-900 desde que as limitações (ou diferenças) acima descritas não sejam importantes para si.
Cumprimentos

Jean Jader disse...

Boa noite,

Gostaria de saber qual lente vc recomendaria para uma nikon d7000. Um lente pau pra toda obra com uma excelente qualidade otica.

Desde já agradeço.

Jean

José Loureiro disse...

Se dinheiro não for problema; se acha que se justifica o preço e desde que não precise de uma objectiva para fotografar interiores que cubra grandes ângulos então pode comprar a 24-70mm f/2.8 referida neste teste… é uma objectiva excelente para a maior parte das situações que envolvam temas genéricos!
Se precisar duma zoom com maior amplitude focal e mais acessível então poderá ponderar a 18-200mm VR… é tudo uma questão de $$$$ e de achar que justifica ou não a diferença…
(atenção que a 24-70mm é uma objectiva desenhada para sensores de formato FX e a 18-200mm para sensores DX)

Wellington Melo disse...

Olá... Sou Wellington Melo
Trabalho em um Laboratório fotografico e a 2 anos atras eu resolvi fotografar tbm.
A principio comecei comprando cameras fotograficas para amigos fotografos que revelam no laboratório, e entre uma compra e outra vendendo as cameras me sobrou dinheiro de comprar uma Nikon D5000 com Flash SB900 e lente 18-105, como eu não sabia de nada eu quiria uma lente maior ainda e consegui comprar uma 18-200 e fui fotografando, logo em seguida eu comprei uma 50mm 1.4G e foi ai que começei a entender mais fotografia.

Hoje estou com muita coisa devido as compras e vendas de camera estou com um 6 Flash de marcas diferentes do tipo Yanguinuo, Vivitar, Canon, Nikon, cameras D5000, D80, D90 e Lentes 18-105,18-200 , 50mm 1.4G e 18-55 um Lixo bem dizer, mas dô muito favor pois foi esse equipamento que me fez e o que ainda esta me fazendo o que eu sou hoje. me Especializei em casamento.

E estou Comprando agora Uma D700 para ficar com uma D700 e uma D90
mais 2 Flash SB900 para ficar com 3
e as seguintes lentes.

NIkkor 70-200 2.8GII
Nikkor 24-120 4G
Nikkor 50mm 1.4G que já tenho
Nikkor 17-55 DX 2.8G

e futuramente uma 85mm 1.4G e uma 35mm 1.4G

vc tem que comprar o Equipamento que Suprir sua nessecidade em seu Fluxo de trabalho.

Unknown disse...

Olá José, tudo bem!

Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo seu Blog, é simplesmente Rico em Conteúdo, e em algumas matérias quase uma aula particular.
Seguinte:
Pretendo investir em fotografias de Shows, desde Ambientes fechado a locais abertos (Festivais),
No momento tenho uma D90 com a lente do kit 18-105mm, Não tenho intenção de comprar uma Full Frame agora, pois quero adquirir mais conhecimento e experiência, de qualquer forma preciso comprar Lentes Clara, pois estou apanhando muito com esta lente 18-105mm
Gostaria de sua opinião e orientação em uma ordem crescente de compra de equipamentos do que eu iria precisar (lentes, câmeras etc).
Obrigado
Gambhira

José Loureiro disse...

Olá Gambhira
Para o tipo de fotografia que pretende (locais abertos, shows…), e para complementar a sua 18-105mm, penso que a Nikkor 70-200mm f/2.8 VR seria uma boa escolha… o único senão será o seu preço elevado!
Quanto à aquisição doutro tipo de objectivas (ou material), sinceramente não posso aconselhá-lo. O motivo é simples: Só devemos comprar objectivas (e outros acessórios) à medida que nos sentimos capazes de os usar e que vamos, efectivamente, necessitar deles! Este tipo de equipamento é caro e só deve ser comprado à medida que vamos sentindo a falta dele. Não vale a pena comprar uma panóplia de objectivas ou de acessórios se não se adequam ao tipo de fotografia que fazemos, se não vamos usá-los intensivamente ou, inclusive, se não se justifica por uma questão de preço…

Miguel Ricardo disse...

Atualmente possuo uma Nikon D7000 + objectiva AF-S DX 18-200 VR, mas estou numa fase que necessitarei de adquirir uma lente mais luminosa, por exemplo a Nikon Objectiva AF-S Nikkor 24-70 mm f/2,8G ED mas custa sensivelmente 1.700 eur.

A minha questão prende-se com o seguinte, valerá a pena investir tanto dinheiro em novas lentes para a minha máquina, fidelizando-me à Nikon, ou em alternativa adquirir uma nova câmera, pois tenho tanta gente a dizer que será um erro ficar na Nikon quando a Canon é superior?

Na minha humilde opinião, as Canon são mais fáceis de utilizar, mas são também mais "plásticas" a nível de construção, por sua vez as Nikon são mais compactas e mais robustas....

Jose Loureiro disse...

Olá Ricardo,
A questão de “valer a pena” ou não investir numa objectiva cara depende duma série de factores e só, cada um, é que poderá avaliar se é justificável ou não o investimento… Além do mais é preciso ter sempre em consideração que o equipamento é somente uma “ajuda” para conseguir melhores fotografias.
Quanto à questão Canos vs Nikon, é pura perda de tempo estar a discutir qual a melhor. Ainda bem que existem as duas! A concorrência faz com que cada vez mais os utilizadores disponham de produtos mais acessíveis e melhores! Quanto ao resto, pessoalmente, acho que dentro da mesma gama e entre câmaras concorrentes as “coisas” andam sempre muito próximas!
Em relação aos “Menus”, sim, também acho que a Canon possui “Menus” mais intuitivos e simples.
Acima de tudo existe também aquilo que chamo de “empatia”. Acho que esse será, também, um factor determinante na escolha da marca!
Por último, se está satisfeito com aquilo que tem (Nikon) e se já possui acessórios, porque mudar? A mudança implicará custos acrescidos…

Rui disse...

Caro José Loureiro,
Possuo uma nikon fx, e pretendendo adquirir zoom 24-70mm, surge uma usada Nikon 24-70mm, que ainda irei considerar.
Contudo e verificando o teste à Tamrom 24-70 di vc usd , fiquei com sérias dúvidas se deverei optar pela Nikon usada (+-1000€) ou a Tamron nova (+- menos o mesmo valor). Tendo em conta ao seu conhecimento, muito grato ficaria pelas dica orientação sobre este tema, permitindo-me escolher a melhor opção para a D800.
abraço e continue este seu excelente trabalho que pela qualidade, passou a ser referencia!

Jose Loureiro disse...

Olá caro Rui
Neste momento encontro-me numa posição ingrata para lhe dar uma resposta directa… Ou melhor, se lhe desse uma resposta directa poderia parecer que estava a ser “tendencioso”. Assim limito-me a aconselhar uma leitura atenta à análise efectuada a ambos os produtos,
Como decerto já reparou, a Nikon continua a ter uma valorização em termos de revenda maior que a Tamron. Parte dessa “cotação” tem a ver com a reputação que a marca foi criando ao longo dos anos e da fidelização de um determinado público.
Por sua vez em teste “cego”, efectivamente, em termos ópticos, a Tamron 24-70mm VC conseguiu ser superior à já excelente qualidade da Nikon 24-70mm 2.8…
Portanto, depois de ler os ditos Reviews deverá retirar aquilo que para si considere importante e terá de fazer a sua escolha baseada numa decisão pessoal.
Como nota final o que posso relembrar é que deve ter em conta na sua decisão a questão das garantias dadas ao equipamento: usado vs novo. Assim, desconhecendo quais as garantias que lhe dão, no caso de optar pela Nikkor deve ter possibilidade de a testar por si mesmo e ver se está tudo Ok.
Cumprimentos

Rui disse...

Meu Caro José Loureiro,
Pelo que refere (e ainda irei verificar novamente as suas reviews, parece-me que irei tomar a opção da Tamron (nova)- com garantia, ao inves da Nikkor (sem garantia)usada. O estabilizador de imagem da Tamron, tb me parece mais valia, uma vez que em termos ópticos/imagem produzida também é uma referencia em relação à concorrente Nikkor. Estou certo??! :-) muito obrigado pela sua disponibilidade. um abraço e continue sempre!

Luícia Ferreira disse...

Olá, posso usar uma dessas lentes em uma D3100?

Jose Loureiro disse...

Sim. Ficará um conjunto um pouco desequilibrado pois a objectiva é muito pesada em relação ao corpo da D3100 mas pode usar sim.

Verlaine Imóveis disse...

QUAL LENTE VOCÊ ME INDICARIA PARA A NIKON D800

Jose Loureiro disse...

As objectivas devem ser escolhidas tendo em conta, claro, a compatibilidade com a câmara na qual as vamos utilizar, mas sempre em função daquilo que pretendemos fotografar e depois do montante que podemos despender ou que se justifique.
Por isso, a primeira questão que deve colocar ao escolher uma objectiva é se ela se adequa ao tipo/tema de fotografia que faz.
Por exemplo, uma Nikkor 14-24mm f/2.8 será para alguns uma excelente escolha para uma câmara FX com as características da Nikon D800, mas pode não ter qualquer utilidade para outros que não façam um tipo de fotografia compatível com as imagens que a mesma produz.
Dentro das zoom’s generalistas, a objectiva mencionada neste artigo será também uma boa escolha ou, dentro das mesmas características mas com preço mais acessível a Tamron 24-70mm f/2.8 cujo teste também pode ver aqui

Zucalu Ducado disse...

Ola boa tarde me chamo Simoes
e por gentileza gostaria de uma opinião de quem entende do assunto sou apaixonado pela fotografia e resolvir comprar uma camera e mha escolha foi no formato FX uma D600+24-85mm o kit mas...pra ser sincero acho essa lente muito fraca no sentido nitidez nao gosto das fotos tirada com essa lente e estou pensando em comprar uma 24-70mm f/2.8 mha duvida é o seguinte sera que vale a pena?

Jose Loureiro disse...

Provavelmente não vou acrescentar muito mais ao que acima já está dito...
O “valer a pena” depende duma série de factores… Por exemplo, o que faz com as suas fotografias, qual o tipo de utilização, quais os tamanhos em que imprime, qual o seu grau de exigência em termos de definição, qual a edição que faz às fotografias… enfim….
Em termos “brutos” claro está que a Nikon 24-70mm terá melhor qualidade de imagem e de construção. Nada seria mais fácil que lhe dizer: Avance! É a melhor! Mas, só cada um saberá dizer se, para o que faz, se justifica o elevado preço a pagar…
Além disso existem outras diferenças entre a 24-70mm e a 24-85mm. A abertura máxima da 24-70mm torna-a bem mais “rápida” que a 24-85mm. Em contrapartida, não existe sistema VR na Nikkor 24-70mm!
Pessoalmente gosto da 24-70mm f/2.8, tenho-a como uma zoom de referência, mas isso, por si só, não quer dizer que a mesma seja a objectiva generalista ideal para todos. O elevado preço, quanto a mim, deve ser bem ponderado!

Zucalu Ducado disse...

Obrigado Jose loureiro pela sua resposta!
como lhe disse sou um simples fotografo amador mas um pouco exigente! com relação a qualidade das imagens. realmente o preço da 24-70mm f/2.8 é bem salgado tenho uma em vista por 1.450euros 3 vezes o valor da 24-85mm mas vejo que diante a sua analise vale a pena o investimento, amigo agradeço a sua colaboracão.

Anónimo disse...

Boa tarde,
Tenho uma D800 e o zoom Nikkor 24-70mm que é o objecto deste artigo.
Eu só tinha primes, tenho uma série delas cobrindo todas as focais até 135mm, mas com a idade cansei de carregar tanto peso e resolvi investir num zoom generalista e escolhi este, um pouco de pé atrás como todas as pessoas viciadas em primes.
Devo dizer que fiquei admirada e encantada com os resultados, a tal ponto que fora situações bem precisas tenho desleixado as primes que entram nessas focais.
Aproveito para agradecer os seus artigos que são sempre instructivos.
Isabel Queiroz M, Monte Gordo.

Jose Loureiro disse...

Muito obrigado, Isabel Queiroz.