google.com, pub-7013487381499349, DIRECT, f08c47fec0942fa0

"PELIKULA" | Uma nova Revista de fotografia em Portugal!





Há dias tive o prazer de receber uma interessante oferta: O primeiro número duma nova Revista de fotografia chamada “PELIKULA”!

Trata-se duma edição semestral, em formato de álbum fotográfico, elaborada com um cuidado design gráfico e bom gosto, por pessoas apaixonadas pela fotografia. O seu fundador, Filipe Carneiro, médico de profissão, fez questão de me oferecer pessoalmente um exemplar deste 1º Número e ao mesmo tempo lançar um convite para uma futura participação na próxima edição da revista, cujo lançamento tem data prevista para Dezembro.

A revista, de limitada edição, tal como referido pelo seu fundador, destina-se essencialmente à divulgação de fotógrafos Portugueses mediante apresentação pública em locais como a FNAC; em meios de comunicação social (Jornal de Notícias, Rádio Nova); casas clássicas de fotografia (Colorfoto, Macrozoom, Fotomaton, Foto Duke, etc) e a entidades públicas como a Câmara Municipal do Porto, Câmara de Vila Nova de Gaia e Câmara de Viana do Castelo, entidades essas que a irão expor publicamente.

Resta dizer que me senti grato e... claro que acedi ao convite. Entretanto, aqui fica a divulgação da capa do nº1!

Nikon D3200 - A nova DSLR de entrada de gama da Nikon!




Surpreendentemente, a quantidade de megapixéis continua a ser um bom argumento de venda no segmento das câmaras digitais compactas e nas DSLR de entrada de gama…
Sinceramente nunca esperei ver uma destas câmaras com mais de 24 Mp! É uma loucura! A câmara de topo de gama da Nikon, a recentemente lançada Nikon D4, tem 16 Mp! … e esses Megapixéis são mais que suficientes para produzir imagens capazes de “encher” cartazes “Outdoors” com grande qualidade!
Por isso, é pouco compreensível (num raciocínio lógico…) o porquê do enorme aumento do número de Mp desta nova Nikon D3200 face à Nikon D3100.
Só por si, mais megapixéis não são sinónimo de mais qualidade de imagem… aliás, uma grande quantidade de Mp num sensor pequeno - como é o caso do sensor DX (APS-C) da D3200 - obriga a uma menor densidade e pior iluminação a chegar a cada um deles…  Não quero com isto dizer que a Nikon D3200 produza imagens de má qualidade… nada disso! Mas, para o público a que se destina, uma resolução de imagem desta natureza não vai ser necessária… Em contrapartida, as imagens tornam-se mais “pesadas” a descarregar” e a manipular no computador… mas, enfim, tal como disse no início, para aqueles que unicamente associam “quantidade de Megapixéis a qualidade de imagem” a Nikon D3200 vai vender à farta! Além do mais, o preço anunciado (pouco mais de €700 – em “Kit” -  com a objectiva 18-55mm AF-S VR), é super convidativo!

Especificações e detalhes »
Nome: desconhecido.... (Fotografia de Estúdio)
Nikon D300 + Micro Nikkor 60mm f/2.8
Exposição Manual @ f/14, 1/10 Seg., ISO 200, Medição pontual


 
Na falta dum artigo decente, cá fica (...novamente) outra fotografia.
Nada mais simples há que publicar um novo "Post" apenas com uma imagem! No entanto, apesar de grande parte dos internautas gostarem apenas de "ver" imagens, verdade é que, regra geral, elas pouco ensinam... No entanto são fotografias e é disso mesmo que se "fala" neste espaço. Por isso espero não desiludir aqueles que mais gostam de "perder" algum do seu tempo também a ler...
Bom  tudo isto para dizer que não tenho tido grande tempo para escrever novos artigos (e esses sim, dão trabalho...) e cá fica então uma outra fotografia de estúdio.
Trata-se duma pequena flor de cores contrastantes (não tem mais de 1cm depois de aberta) que achei interessante fotografar nas suas diferentes fases de desenvolvimento. Na imagem podem observar três dessas fases. Conforme vão "abrindo", as pétalas, vão recolhendo para trás e após caírem a flor gera uma pequena "semente" de cor roxa.  
Uma das dificuldades em fotografar estas flores consistiu na sua limpeza. Não sei se "perdi" mais tempo a limpá-las com um pincel de cerdas finas ou a fotografar... Como flores de jardim que são, estas flores, estão expostas a poeiras e algodões que pairam com abundância no ar nesta altura do ano. Fotografadas com este pormenor qualquer um desses elementos distrairia e seria suficiente para "arruinar" a foto...
Fotografar com um plano de fundo de tecido de cor preta foi uma boa escolha e ajudou a realçar a composição, as formas e as cores do conjunto.
Um dos artifícios que usei para tornar esta foto mais apelativa passou por borrifar discretamente o caule e as pétalas com água tornando-as mas "frescas".
Apesar de usar iluminação de estúdio contínua de pouco aquecimento, tive de ser rápido pois as gotas rapidamente desaparecem....
Um "truque" para prolongar o "tempo de vida" das gotas quando se fotografam em situações deste género consiste na simples troca do liquido que usámos para "criar" as gotas: Glicerina em vez de água! Com esse produto, as gotas demoram muito mais a desaparecer!
Depois, o que mais posso dizer que possa ser útil...? Tripé, cabo disparador, espelho levantado.... claro que sim! Tudo "normal" neste tipo de captura...
Quanto à iluminação:
Uma caixa de luz grande (Softbox) colocada sobre o assunto foi a principal fonte de iluminação para esta fotografia. Além disso, foram ainda usados dois projectores colocados lateralmente (à esquerda e direita) cuja luz foi reflectida por cartões "K-line" de cor branca direccionados de modo a eliminar algumas sombras.

Zeiss Ikon Box Tengor - Model 54/18 "Baby-Box" (1934~1938)



É difícil não ficar atraído pelas pequenas dimensões desta encantadora "Zeiss Ikon Baby Box". O seu tamanho? Apenas 8x6x5,5cm! Na verdade, mais parece um pequeno brinquedo... Mas não é!
Estas pequenas máquinas, de origem Alemã, conhecidas como câmaras"miniatura" foram populares durante os anos 30 pela sua facilidade de uso e transporte. Com um pequeno rolo denominado de "A8" ou "127"(como é mais conhecido), próprio para as mesmas e outros tipos de câmaras miniaturas da altura, conseguia captar 16 fotografias cujos negativos não ultrapassavam as dimensões de 3x4cm!
A primeira versão deste modelo de câmaras data de 1931 e esteticamente diverge da reportada na imagem (2ª versão -1934) pela isenção da placa decorativa hexagonal que rodeia a objectiva.
Por falar nisso... a objectiva desta pequena câmara, em concreto, é uma "Goerz Frontar" 50mm f/11 de foco fixo com uma única velocidade de obturação: 1/25 seg. (além de "B").
No fundo a estrutura desta máquina é extremamente simples - trata-se duma "Box Camera" - de corpo metálico revestido a imitação de pele com um visor (tipo "pull up") colocado na parte posterior do topo da câmara que é completado por uma moldura em arame na parte da frente (que tem de estar levantado para que o obturador funcione). Na parte traseira existem somente duas pequenas aberturas circulares transparentes revestidas a vermelho que serviam para confirmar a correcta posição da película (após rodar o rolo) para a próxima exposição - o número da exposição tinha que aparecer repetido nas duas aberturas.
Em baixo, para transmitir a noção do seu tamanho, uma comparação... com um relógio de pulso!





Orquídea Phalaenopsis (fotografia de Estúdio)
Nikon D300 + Micro Nikkor 60mm f/2.8
Exposição Manual @ f/18, 1/5 Seg., ISO 200, Medição pontual


Por norma, não costumo publicar neste espaço somente fotografias sem nenhum assunto associado ou sem nada dizer acerca das mesmas...
Mas, facto é que, mais uma semana se passou e quer o tempo, quer (principalmente...) a disposição para estruturar e escrever artigos, não têm sido muitos...
Por isso, para já e enquanto o "post" acerca do tema (Fotografia de Estúdio) ainda não está completamente pronto, cá fica mais uma fotografia de exemplo...
Quem se interessar por este tipo de fotografia poderá dentro em breve (espero...) ler o artigo que conterá alguns breves conceitos e dicas!