"ZEISS" !




E pronto! Lá fui “apanhado” neste "auto-retrato" a testar a Zeiss 50mm f/4 Flektogon!
Eu... e mais um fotógrafo que na altura passava por trás de mim e que parou, curioso, para ver o que estaria a fotografar voltado de costas para o cenário! J
Mas que ficou fotografado ficou! Devido à curvatura dos óculos de neve, a imagem projectada do cenário mais parece uma foto captada com uma objectiva grande-ângular!
Esta é uma “daquelas” fotografias em que o menos óbvio acaba por ser o mais importante… no entanto, pode demorar algum tempo a fazer a leitura completa do que lá está representado…   
É disto que gosto! Aproveitar um dia (…desta vez sem chuva) para testar uma “nova” objectiva e captar, ao mesmo tempo, fotos interessantes! Uma das condições para captar “boas fotos” é, por vezes, conseguir antecipar mentalmente o resultado duma determinada captura… Se o conseguir-mos fazer de maneira diferente do habitual, tanto melhor… Depois, neste caso concreto, existe ainda uma outra associação: A marca! Testava uma objectiva Carl Zeiss e esse mesmo nome estava ali “à mão de semear”!

Muitas das fotos que publico aqui no Blog, designadamente as que concernem a testes, são desprovidas de qualquer conceito estético ou princípios básicos fotográficos. Visam, simplesmente, aferir e demonstrar as capacidades do equipamento em causa. Nesses casos, por exemplo, fotografar repetitivamente uma parede sem qualquer interesse estético, a várias aberturas de diafragma, pode ser a melhor forma de apurar precisamente em qual abertura(s) uma determinada objectiva atinge o seu melhor nível de recorte... No entanto, equipamento fotográfico serve para fotografar! Por isso, de vez em quando, cá fica uma foto captada sem intuito de testar mas sim pelo simples gozo fotográfico! 

Bom, voltando à Zeiss… Contrariamente à (idêntica) Zeiss 65mm, esta 50mm Flektogon, também de Médio-formato, não tem tão boas cores nem definição. Ainda assim, com alguma edição conseguem-se resultados interessantes. A foto desta semana foi captada com a objectiva na sua abertura máxima (f/4) e sem qualquer filtro polarizador. A recuperação de contraste foi efectuada em posterior edição, tendo a captura sido feita com um ângulo de cerca de 45º em relação ao vidro da montra onde estavam os óculos de neve para evitar ao máximo reflexos (em função da direcção e incidência de luz).

4 comentários:

domingos disse...

sentido de oportunidade, imaginação...abraço (até parece que é fácil)

Xata disse...

Foi com uma grande alegria que descobri há pouco o seu blogue. Encontrei exactamente o tipo de ajuda que procurava, simples e clara nas explicações, pois não tenho nenhuma formação outra que auto didáctica em matéria de fotografia.

Tenho uma D90 e vários nikkor, utilizo photoshop CS5... e tento melhorar me como posso.
Se quiser ou tiver tempo de dar uma olhadela:
http://www.ipernity.com/doc/xata

Estou pensando em mudar de máquina para melhor, pensava na D300S quando me indicaram que ia sair a D7100, um amigo do Canada que publica fotos de natureza para revistas de lá (tem uma D300S e mais algumas) diz que vai adquirir a D7100... espero pelos resultados e opinião dele antes de me decidir, confesso que tenho dificuldade em apreender qual será para mim a melhor escolha, todos os conselhos são bem vindos.

Cordialmente,
Isabel de Monte Gordo.

José Urbano Biedma disse...

Un bloc muy interesante José, saludos desde España

Jose Loureiro disse...

Gracias!