"Fruta da Época" | Teleobjectiva em testes...!



A "Fruta" e só mesmo para disfarçar... Este mês disponibilizaram-me, para testes, uma teleobjectiva Catadióptrica de 500mm de distância focal, de origem Russa.
Primeiros "clicks": Na falta de melhor, umas fotos das tangerinas do jardim... aí a uns 10 metros de distância...
Trata-se duma objetiva "vintage" de encaixe de rosca "M42". Regra geral, as objectivas com este tipo de encaixe não costumam funcionar a 100% (no que diz respeito à focagem) em câmaras D-SLR da Nikon. O motivo: Não focam ao infinito. No entanto há excepções... designadamente em relação às "Teleobjectivas"... e esta é uma delas! Não existe qualquer problema em focar ao infinito com esta "LZOS 3M-5A 500mm"!
A fama deste tipo de objectivas (vulgarmente conhecidas como "de espelhos") não é a melhor... o problema da falta de luz; o "Bokeh" com círculos de luz em forma de donut... Enfim, nada como experimentar!
Em todo o caso, a foto (que não enferma desses "males") foi captada em dia encoberto. Nestas condições, perde-se em luminosidade e, consequentemente, em velocidade de obturação mas, com os devidos cuidados (estabilização), ganha-se na diminuição de reflexos e do "tal" bokeh desagradável...
Uma coisa é certa: O uso de tripé e cabo disparador é obrigatório! E mesmo assim...
Mas vamos fazendo mais umas fotografias e daqui por algum tempo aqui colocarei a opinião acerca da mesma!

Edição da foto da "fruta":
Apenas redimensionamento e compensação de nitidez... nada mais!

E cá fica o "bicho":
(Simples,...simples,.... simples.... Parece um VW da 1ª geração!)

 
 

2 comentários:

Manuel Domingues disse...

Ora aqui está uma “vintage “ que não está em nada fora do tempo! A Nikon manteve em produção até 2005 uma reflex500f/8! http://www.photosynthesis.co.nz/nikon/serialno.html

Tenho uma prima 500f/8, e uma tia MTO-1000f/10, a que destravei o curso do anel de focagem e adaptei uma baioneta mais alongada e separável ao meio para poder levar filtros. Ainda não testei, mas parece-me haver ainda margem na focagem para levar até 100 mm de extensão, atirando assim lá para perto dos 2000f. Tenho de alterar a base de fixação ao tripé, porque a que tem, não fixa nada! Depois, se o amigo quiser perder algum tempo em testes para ver o resultado, terei muito prazer em a colocar ao dispor!

Quanto à modificação do P6, já está na “forja”... Darei novidades brevemente!

Abraço
MDomingues

Jose Loureiro disse...

Olá Manuel,
Pois… um dos grandes problemas em lidar com distâncias focais superiores a 400/500mm reside na estabilização!
Além disso, este tipo de objectivas não capricha propriamente pela qualidade das ligações para tripé e da distribuição de peso o que se reflecte inevitavelmente nalguma dificuldade em conseguir um bom equilíbrio. Curiosamente, só é possível montar esta LZOS 500mm (com a Nikon D2x) no tripé com uma base de aperto Manfrotto RC2 se apertarmos a sapata lateralmente na objectiva…
Ok! Cá espero as suas novidades!