Tamron Lens - 90mm Macro | Sample series #4






Coordenadas: 41.803435, -8.128891
Rio Homem (Parque Natural da Peneda-Gerês)
Nikon D2x + Tamron SP 90mm f/2.8 Macro Di VC USD
f/14 (-0,7 Ev), 1/4 seg., ISO 100, Modo de Exposição "A", Medição Matricial



Continuando com algumas imagens da Serra do Gerês!
Esta cascata, de cativante cor, apesar de ser facilmente localizável (bem visível e à face da estrada) acaba por ser de difícil acesso, nesta altura do ano, devido às escorregadias pedras por onde temos de passar para captar fotos de planos mais próximos ao nível da água.
Ainda tentei uma descida por um acesso em pedras pelo lado esquerdo mas, antes que caísse, lá acabei por desistir!

A solução foi trocar a 10-24mm pela 90mm Macro (que não se limita exclusivamente às potencialidades duma objectiva Macro mas permite, também, obter muito bons resultados noutros tipos de fotografia) e de cima, na estrada, lá acabei por fotografar a cascata. Não é o plano ideal mas pelo menos ficou o registo deste bonito cenário! 
Nesta fotografia não foi utilizado qualquer filtro (nem ND, bem sequer Polarizador). Uma vez que o dia estava encoberto e a luz era pouca, só foi necessário usar um valor de sensibilidade ISO baixo (ISO 100) e uma abertura de diafragma pequena (f/14) de maneira a ajustar a velocidade de obturação * (1/4 seg.) e consequentemente o tempo de exposição de modo a conseguir o efeito de arrastamento da água para que ficasse registada de maneira suave e não "congelada". 
Neste tipo de fotografia o elemento principal é precisamente a "queda" da água. Por isso o tempo de exposição deve ser sempre suficientemente prolongado de modo a permitir registar o "movimento" da mesma. Uma fotografia "rápida" acaba por se tornar menos interessante pois não permite registar esse movimento de "água doce". **
O Inverno é uma das melhores alturas do ano para fotografar quedas de água. Inclusivamente, pequenos ribeiros, tornam-se interessante motivos fotográficos devido ao musgo que se acumula após alguns dias de chuva. Todavia, quando chove demais (logo após esse período) a água pode apresentar uma cor lamacenta o que torna as fotos desinteressantes... mas esperando mais uns dias tudo volta ao "normal".

** Dica
Um "truque" para quem não possuir filtros! Também é possível fotografar este tipo de cenário em:
  1. Dias muito encobertos;
  2. Quando a luz do dia ainda é escassa. Ou seja, bem ao nascer do dia ou ao fim da tarde (em dias de sol, após o mesmo se pôr e desaparecer por completo).
Quer no caso da primeira, quer no caso da segunda hipótese, as fotos vão, quase obrigatoriamente, ter de ser compensadas em posterior edição, designadamente para recuperar alguma cor (em condições de pouca luz, mesmo ajustando o equilíbrio de brancos para encoberto) vai ser necessário ajustar os níveis de modo a conseguir alguma intensidade e vivacidade de cor.
Escusado será dizer que, devido às baixas velocidades de obturação necessárias para conseguir este tipo de efeito, a câmara deverá estar estabilizada. Ou através de tripé, ou no caso de "desenrasque" apoiada firmemente sobre uma superfície estável e utilizando-se o modo de obturação temporizada (aquele que utilizámos quando deixámos a câmara sozinha a fotografar, por exemplo, um grupo de pessoas e nos queremos incluir).
Dessa forma não existe um contacto físico com a câmara (não e necessário carregar no botão obturador) e o risco da foto ficar "tremida" diminuí.  


* A velocidade de obturação podem variar consoante a velocidade e intensidade da queda da água. Se a água correr de forma abundante e rápida, o tempo de exposição deverá ser menor. Caso contrário, a água ficará registada com um aspeto pouco natural (será apenas uma "artificial" mancha branca).

2 comentários:

José Manuel Gonçalves disse...

Ola
Tenho uma Nikon D800 e a pouco tempo comprei uma 80/400 VR usada, mas pela aparência está como nova.
Fiz umas fotos e reparei que algumas imagens a 400mm a imagem ficam com sombra
Ou imagem dupla. Também a nitidez só aparece com f superiores a 12
Será que me pode informar se será problema da lente, ou da máquina, ou se será que eu me estou a esquecer de alguma coisa…. Agradecia se tivesse resposta para este meu problema me diga o que fazer. Obg.
Abc
JM

Jose Loureiro disse...

Olá José Manuel
Não sei concretamente o que quer dizer com “sombras” mas, em todo o caso a situação que descreve não é de todo normal, designadamente a falta de nitidez. Por outro lado, não me parece ser problema algum na câmara… Está a utilizar algum filtro na objectiva…? Se sim, já experimentou retirar o filtro?
Duas coisas a fazer para despiste:
1. Experimentar a objectiva noutra câmara e ver se o problema se mantém
2. Visualizar e verificar (através do simples rodar do anel de aberturas) se as lâminas do diafragma abrem e fecham corretamente a todas as aberturas…