Novamente pelos Céus de Mogadouro


Vista aérea do Aeródromo de Mogadouro (N 41º23`852`` W 006º40`966``)
Nikon D2x + Nikkor 24-70mm f/2.8 + BW-CPL
(@ 24mm, f/2.8, 1/1250, ISO 100)



Domingo passado fui novamente "visitar" o aeródromo de Mogadouro.

Desta vez, na companhia do piloto e amigo Pedro Ferreira, tive também a oportunidade de experimentar a sensação de voar num outro planador:
O " TWIN ASTIR II ACRO".



Com alguma turbulência mas com excelentes térmicas que permitiam à aeronave subir a um ritmo de 4 a 5 metros por segundo, facilmente se chegou aos cerca de 2.000 metros de altitude!

A paisagem local, vista do ar, é absolutamente fantástica! Na imagem (captada a cerca de 600/800 metros de altitude) pode observar-se a pista do aeródromo. Nesta altura do ano os tons ocre e castanhos predominam em contraste com os tons verdes que observei da primeira vez que vi esta terra do ar a bordo do "BLANIK" aquando do lançamento da revista "Planadouro"

Bom, dia excelente para voar neste tipo de aeronave, mau dia para a fotografia... as condições de visibilidade eram realmente boas mas com tanta turbulência revelou-se difícil conseguir alguma estabilidade necessária para as capturas.

Decidi levar "para cima" a Nikon D2x e a Nikkor 24-70mm f/2.8 com um filtro polarizador. No entanto, este conjunto torna-se pesado e volumoso para manusear no exíguo espaço disponível no cockpit do "TWIN". Quando pousava a câmara no regaço era necessário algum cuidado para não bloquear os movimentos do "manche"!

Aproveito a oportunidade para relembrar e convidar os leitores a "aparecerem" no próximo dia 28 de Julho, à 3ª Edição do Festival Aéreo "Red Burros Fly-In" que se vai realizar precisamente neste local!

3 comentários:

Luis Fernandes disse...

Sensacional a tomada aérea, ficou muito boa mesmo. Apesar da turbulência, você conseguiu uma excelente captura, parabéns!

mfc disse...

Como gostaria de tirar umas chapas assim... não fora o medo parvo de voar que mo impediria!

Jose Loureiro disse...

Não sendo o “Ar” o nosso meio natural, todos nós (penso eu…), em maior ou menor grau, colocámos algumas reservas na hora de levantar voo…
No entanto, com alguma “insistência” a situação vai-se tornando cada vez mais “normal” e passámos a encarar até com algum gosto esse “medo”!
Quando se chega a essa fase é que começámos a “tirar partido” dos voos! Ficando esse receio para trás conseguimos saborear a sensação de voar!
No entanto há que dizer que a experiência de voar num destes Planadores ou num pequeno avião não tem comparação com a sensação experimentada nos grandes aviões comerciais…
Em termos grosseiros e de comparação, diria que uma coisa é andar num Bentley em Auto-estrada e outra num Land Rover numa qualquer picada florestal!

Se quiser tentar “perder” o receio apareça pois poderá haver oportunidade para voos de Baptismo!
Um abraço