kodak No. 3A Folding Pocket Kodak - Model B (1903~1904)


Sem dúvida, esta é uma das mais belas e fascinantes câmaras clássicas que possuo. Além de esteticamente imponente, é um modelo muito pouco usual de se ver nos nossos dias pelo que pode apelidar-se de "raridade". Trata-se do 2º modelo (Model B) das "No. 3A Folding Pocket Kodak" (F.P.K.) produzidas nos Estados Unidos da América pela pela Eastman Kodak Company durante os anos de 1903 a 1914.
Deste "Modelo B" foram apenas produzidas 15.000 unidades! Este é um dos modelos destas câmaras fotográficas mais difícil de encontrar.
Concretamente, existiram 7 diferentes versões (ou modelos) destas máquinas. A saber, por ordem cronológica:  A, B, B-2, B-3, B-4, B-5 e C.
O "modelo A" foi, portanto, o primeiro a ser comercializado e a utilizar os específicos e enormes rolos de formato "122" entre Junho de 1903 e Setembro do mesmo ano. Dada a sua limitada produção (5.000 unidades), este modelo, é de todos o mais raro (...por sua vez, o modelo "mais comum" é o B-4).
Segue-se-lhe o modelo da câmara da imagem (modelo B) produzida entre Setembro de 1903 e Junho de 1904. Tal permite datá-la, com rigor, àquele pequeno período. Significa isso, que tem mais de um século! *
Na altura, contrastando com as mais baratas e populares "brownie", esta era uma das câmaras mais refinadas e mais caras que existiam. Os materiais que a compõem são o alumínio, pele e madeira de mogno.
O seu preço, aquando do lançamento, era verdadeiramente astronómico: 78,00 dólares!
Tão grande como o preço era o seu tamanho... Esta câmara é imponente e enorme! Tem cerca de 25cm de altura e mais de 1Kg de peso! No entanto era considerada uma câmara de bolso (pocket camera)... como mudaram os hábitos de vestuário ao longo dos tempos... :)
De igual modo - grandes - eram também os negativos usados por estas câmaras. O rolo "122" produzia negativos do tamanho de postais (8.25x14cm).
O obturador é um "Kodak Automatic" (pneumático... daqueles que funcionam através de pressão numa pêra de borracha). A objectiva que equipa este modelo de câmaras são as "Bausch & Lomb" Rapid Rectiliniar.
A história percorre caminhos curiosos... assim com esta máquina.... Produzida nos Estados Unidos da América, foi vendida para a Grã-Bretanha onde ficou até quase aos nossos dias.
Sendo eu um relativo "apreciador" de antiguidades fico triste sempre que vejo sair do nosso país uma qualquer peça histórica com valor museológico. Pelo contrario, também fico contente sempre que se "evitam" essas "perdas" de património ou inclusivamente se adquirem a outro país. Foi precisamente esse o caso. Foi da Grã-Bretanha que veio esta câmara e dada a sua "rareza" penso que não deverão existir muitas mais no nosso País...   
Por isso, aproveito para partilhar estas imagens da mesma após um processo de limpeza e restauro.
Como é de esperar, mesmo sem utilização, os mais de 100 anos acabam por fazer com que seja sempre necessário algum "trabalho" de restauro... Há quem goste de "ver" estas máquinas tal qual as encontrou (mesmo sem qualquer limpeza). Pessoalmente, acho que isso não as dignifica nem revela a sua beleza e encanto... Mas, acerca disso, podem ver no final uma imagem ilustrativa do estado em que veio para o nosso País....
Um dos materiais mais problemáticos, destas e doutras câmaras clássicas, é a pele natural que lhes serve de revestimento final. É um dos componentes mais expostos e que mais cuidados requer para uma correcta conservação. Ao longo dos anos, a pele, naturalmente vai ressequindo e facilmente sofre rasgões ou riscos. Felizmente, também é um dos materiais de mais fácil restauro... Há que hidratar a pele e depois de limpa a estrutura base (metal ou madeira) colar aquelas "pontas" que, quase sempre, estão descoladas quando adquirimos uma destas relíquias.
Nesta câmara em concreto, outro "trabalho" necessário foi o de recuperar a base de madeira em Mogno (que se encontrava muito riscada) devolvendo-lhe o tom e o brilho naturais.
Bom, falando (...mais) um pouco sobre as Kodak No.3 F.P.K....
A qualidade, quer estética, quer de construção, são realmente muito cuidadas. Nota-se que não é uma câmara construída unicamente para servir o seu fim - fotografar - mas, também, para servir como peça de culto e de "status". A variedade dos materiais, de que são feitas, estão muito bem combinados e todos eles, pelos contrastes entre si, acabam por ganhar vida e por "ressaltar à vista". O fole, em pele vermelha, os cromados colocados sobre a pele preta, o tom levamente avermelhado da madeira de Mogno, o tradicional amarelado da liga de latão onde está montado o sistema de obturação... Enfim, uma máquina bem colorida construída para fotografar a "Preto e Branco"!
Aberta, no interior podemos comprovar que os cuidados com a qualidade se mantém... Os materiais (madeira e metal) possuem também bons acabamentos. Pormenor curioso: O grande rolo, onde se prendia a película "122", é de madeira. 
Fechada: uma das perspectivas menos interessantes desta câmara... Excluindo o seu tamanho, é idêntica a outros tantos modelos... 

Afinal, mais uma câmara clássica de colecção…


Ao lado:
Uma imagem da câmara antes do restauro! (fotografada com um telemóvel...)



 Caraterísticas/Especificações da Kodak FPK 3A Model B:
Anos de produção: 1903~1904
Distância focal: ?
Aberturas: f/4 a f/128
Objectiva: Bausch & Lomb Rapid Rectilinear
Obturador: Kodak Automatic (pneumático)- T, B, I
Rolo: 122


* (Kodak Cameras The First Hundred Years, Brian Coe, Hove Collectors Books, 2003 Reprint (ISBN 1-874-707-37-5)

1 comentários:

lmpalex disse...
Este comentário foi removido pelo autor.