A propósito das velocidades de obturação... Lentas ou rápidas?



Há dias um amigo, em conversa, comentou comigo que não achava particularmente interessantes as fotografias que eu havia captado durante um concurso hípico em que usei a Técnica de Panning com velocidades de obturação baixas... A explicação residia na falta de definição geral das mesmas.
Acerca disso, lembrei-me, no passado fim-de-semana, durante outro concurso hípico de saltos, de captar duas distintas fotos variando somente a velocidade de obturação com o intuito de partilhar aqui o resultado.
Claro que esta técnica (panning) produz resultados diversos em função do tema... Tratando-se, por exemplo, duma fotografia a um carro em movimento este aparecerá globalmente definido uma vez que é um único objecto que se desloca todo numa só direcção/sentido. No caso dos concursos hípicos o movimento é, obviamente, predominantemente para a frente mas o conjunto cavalo/cavaleiro move-se em diversas direcções e a diferentes cadências. Logo, é natural que nem todo o conjunto fique definido mas somente parte dele...
Na fotografia, tal como, por exemplo, em algumas técnicas de pintura (estou a recordar-me da aguarela) é preciso deixar algum "espaço" de leitura à imaginação do observador. Ou seja, embora parte do que está fotografo/pintado não esteja perfeitamente delineado é, contudo, facilmente interpretado e preenchido pelo espectador...
Por outro lado, o Panning, é responsável por fotografias de mais impacto porquanto releva/destaca o elemento principal. Além disso, consegue-se transmitir a noção de deslocação/velocidade. Algo que a fotografia captada de maneira "normal" (processo bem mais simples...) não transmite pois "congela" todo o contexto...
Mas, para que possam ver-se as diferenças, então cá ficam duas diferentes fotos.
Uma em Panning  e outra "normal". Ambas foram captadas com uma Nikon D300 e a 80-200mm @ 80mm com abertura de f/2.8.
O que variou, então?
Exif das fotos:
Panning (Cavaleiro) - ISO 200; 1/50 seg.
"Normal" (Cavaleira) -  ISO 1250; 1/400 seg.

 Para comparar as diferenças entre uma e outra técnica coloque (e retire) o cursor sobre a foto  

8 comentários:

Sérgio Pontes disse...

Pessoalmente gosto de pannig

Achei o artigo mesmo muito interessante

Abraço

pbl disse...

Panning, panning, panning e panning.
Ponto final.

Manuel disse...

Já me tinhas explicado o porquê da crina do cavalo ter ficado distorcida no outro artigo, mas "pegaste" bem no assunto e, mais uma vez, fizeste outro artigo bem esclarecedor e interessante! Parabéns! Gosto de ambas as fotos mas a técnica do panning, para não variar, está com um fantástico resultado!

Bruna Tassis disse...

Poxa, eu também achava ruim as fotos desfocadas... Mas vendo as duas fotos, sem dúvida panning.Dá movimento à foto!
A foto "normal" tá ótima também!
Mas realmente para este contexto panning dá vida à foto!

Parabéns pelas capturas.
Ótimo texto e explicação!
Obrigada,

Bruna

Ivy Freitas disse...

Esse efeito panning é muito interessante e precisa de muito treino para consegui-lo.
Parabéns pelo seu registro.

Flávia disse...

Este comentário nada tem a ver com o artigo embora queira sublinhar que está mesmo interessante, queria pedir-lhe uma opinião. Queria comprar uma SLR-D para iniciar na fotografia mais séria e estou a considerar entre a Nikon D3100 e a Canon EOS 500D, cada site tem a sua opinião mas nem sempre fundamentos bem argumentados, em termos de preço não queria ultrapassar estes e de complexidade também não, visto que estou a começar. Reparei que tem preferencia por Nikon (ou é impressão minha?), por isso peço-lhe que me dê a sua opinião, se a Nikon vale mais que a Canon (neste caso).
Muito obrigada, Flávia

José Loureiro disse...

Flávia,
A questão da velha dicotomia “Nikon” vs “Canon” já subsiste há anos e certamente que continuará…
Na verdade, entre câmaras ou melhor, modelos directamente concorrentes cada uma das marcas tem sempre um ou outro factor em que leva vantagem sobre o “opositor” e vice-versa mas, com umas coisas melhores e outras piores os modelos vão equilibrando.
As maiores diferenças, a meu ver, residem nos modelos de topo de cada uma das referidas marcas. Mas, pelo que se tem vindo a assistir, cada uma das marcas sempre que lança um novo modelo tenta (e geralmente com sucesso) superar a concorrente. Claro que a que a marca que fica “superada” empata a parada no seu seguinte lançamento introduzindo, por sua vez, melhorias face ao modelo da marca concorrente e assim sucessivamente ….
Quem fica a ganhar com isto? Todos nós! É com base nessa “salutar” concorrência que cada uma das marcas se vê “obrigada” a melhorar os seus produtos e a manter os preços competitivos!
Agora, Canon ou Nikon? Sinceramente, tanto faz… Obviamente que, pessoalmente tenho uma maior simpatia pela Nikon por uma questão de tradição. Mas para ser franco, já usei câmaras da Canon que gostei mais que algumas da Nikon…
Este último aspecto (“tradição”), que faço questão de explicar sempre a quem vai adquirir uma câmara SLR-D pela primeira vez, é que é importante!
A primeira compra, designadamente no que concerne à escolha da marca, vincula futuras aquisições de equipamento (objectivas, flashs, etc, etc.) uma vez que esses equipamentos/acessórios não são compatíveis entre as duas marcas. Por isso compra uma câmara da marca “A”, depois compra um flash para essa mesma marca e/ou outros acessórios e quando chegar à altura de querer (ou precisar) de trocar de câmara “vê-se obrigado” a comparar da marca “A” ou, caso contrário, se optar pela “B” terá de “deitar fora” todo o material que entretanto foi adquirindo para a primeira…
Cumprimentos

Thiago disse...

José Loureiro, estava interessado em adiquirir uma câmera nos EUA, e vi duas point and shoot que me interessaram, a Canon SD1400 IS e a Nikon Coolpix S9100. O que você acha sobre essas duas? E se tivesse que escolher entre elas, qual optaria? Se quiser dar alguma sugestão de outra boa também, e que tenha boa qualidade de filmagem principalmente.
Poderia enviar a resposta pro meu e-mail?
ti_sousa96@hotmail.com
Obrigado, Thiago