Tamron 18-200mm f/3.5-6.3 Di II VC | Teste





Especificações
Distância focal/Abertura:
18-200mm f/3.5-6.3
Construção (elementos/grupos):
16 / 14
Ângulo de imagem:
75º 33 - 7º 59' 
Escala distâncias focais:
18-35-50-70-135-200
Diafragma:
Automático
7 lâminas
Escala de aberturas:
f/3.5-6.3 ~ f/22-40
Medição de exposição:
Por método de abertura
Escala:
N/A
Distância mínima de foco:
0.49m
Tamanho do filtro:
62mm
Dimensões (diam./comp.):
75 x 96.6mm
Peso:
400g
Todos os fotógrafos apreciam ter ao seu dispor o melhor equipamento fotográfico possível. As objectivas, nesse contexto, sendo um dos elementos determinantes para a obtenção dos resultados finais, não fogem a esta regra. 
Todavia, todos sabemos que as objectivas da gama dita "profissional" tem preços demasiado elevados para a maioria dos utilizadores. Além disso, muitas vezes, a aquisição desse tipo de equipamento acaba por não se justificar em termos de investimento.
Pessoalmente, claro está, também gosto de utilizar objectivas de gama "Pro". Quem não gosta, não é? Aliás esse é quase exclusivamente o tipo de objectivas que utilizo há anos. No entanto, digo-o com toda a sinceridade, esta nova Zoom genérica Tamron 18-200mm f/3.5-6.3 Di II VC, destinada a câmaras com sensor APS-C (DX), era uma das objectivas da Tamron que me despertava curiosidade em testar. Porquê? Porque, certamente este é o tipo de objectivas mais procuradas por fotógrafos amadores. Ou seja, esta será uma objectiva que estará ao alcance da maioria das pessoas que gostam de fotografar com D-SLR's, pelo será uma realidade e não "um sonho". Assim, aproveitando a cedência dum exemplar por parte da representante da marca (a Robisa), durante uns meses lá fui utilizando e testando esta nova zoom.
De facto, este segmento de objectivas é muito procurado (por razões que mais à frente veremos) pelo que, com frequência, sou abordado para "dar" opinião sobre este tipo de objectivas. 
Assim, um dos propósitos principais dos testes seria aquilatar acerca da relação preço/qualidade desta objectiva e ao mesmo tempo apurar se esta objectiva, apesar do seu baixo custo, seria capaz de satisfazer as exigências de fotógrafos amadores.



Torna-se importante esclarecer desde já que este artigo, nomeadamente a "minha opinião", tem por base o segmento onde esta Tamron 18-200mm se insere e o seu público alvo. A saber, objectivas zoom polivalentes, de abertura lenta, de custo acessível destinadas a um público sem pretensões "profissionais".
De facto, nesse contexto, sendo o preço um factor determinante neste segmento de objectivas, esta Tamron começa por ser uma campeã. Exceptuando a "velha" TAMRON AF 18-200mm f/3.5-6.3 XR Di-II Macro (entretanto já descontinuada) esta nova 18-200mm F/3.5-6.3 Di II VC é a opção de "zoom generalista" mais barata atualmente em venda no mercado. Sobre a "antiga" versão, esta nova, tem a grande vantagem de contar com um útil sistema de estabilização de imagem e dum rápido sistema de focagem que mais à frente descreverei em pormenor. 

Portanto, quanto mim, ressaltam óbvios três factores a considerar pelos potenciais compradores desta objectiva:

  1. Baixo custo - esta objectiva tem um preço de pouco mais de €200,00 e é a opção mais económica do mercado entre as 18-200mm. 
  2. Polivalência - o zoom (de mais de 11x) permite uma variação de amplitude focal entre os 18mm e os 200mm o que a torna uma objectiva extremamente versátil e adaptada a um sem fim de temas tais como férias, viagens, ambientes familiares,...
  3. Peso e tamanho  - extremamente compacta, atualmente, esta é a objectiva zoom 18-200mm mais leve em venda no mercado. Pesa apenas 400g. Na verdade, tive curiosidade em verificar se era verdade (perdoem o pleonasmo)... e era! Na minha balança digital, a objectiva que me foi cedida, pesou 401g! 



As várias opções de objetivas zoom 18-200mm em comercialização
 (comparação de preços)
CANON EF-S 18-200mm f/3.5-5.6 IS
Cerca de € 530,00
NIKON AF-S DX 18-200mm f/3.5-5.6 G ED VR II
Cerca de € 800,00
SIGMA 18-200mm f/3,5-6,3 DC Macro OS HSM
Cerca de € 370,00
TAMRON 18-200mm f/3.5-6.3 Di II VC
Cerca de € 230,00











Ainda uma outra objectiva a, eventualmente, considerar nesta gama de Ultrazoom's: a Tamron 16-300mm.  Apesar dalgumas similitudes em termos de design, a Tamron 18-200mm está, porém, desprovida de escala de distâncias. Outra obvia diferença: A troca de posição dos anéis de focagem e zoom. Além destas diferenças "estéticas", a nível de construção interna, a Tamron 16-300mm insere-se numa gama superior, tem uma maior amplitude focal e apresenta algumas mais supremacias que acabam por se refletir no seu peso e preço final mais elevado. Assim, com um valor de venda cerca de 2,5 vezes mais elevado (cerca de €600,00), esta outra "opção" de zoom generalista, que concorre com os preços da Canon e Nikon, poderá já estar fora do alcance dalgumas bolsas...  





Manuseamento:

A Tamron 18-200mm é uma objectiva muito fácil de menear. O sistema de estabilização de imagem "VC" é espantosamente eficaz e silencioso. Tendo testado o sistema (com a câmara "à mão" sem recurso a tripé),  com valores de velocidades de obturação verdadeiramente baixos em relação à distância focal que estava a usar, facilmente se conseguem fotos nítidas! 
Ainda bem que assim é pois a eficácia do sistema de estabilização acaba por "compensar" a abertura lenta desta objectiva. Principalmente na sua distância focal máxima. A 200mm obtive resultados nítidos a 1/20 seg.!
Quanto à focagem manual, como já estamos habituados, esta 18-200mm, apesar de possibilitar sobreposição constante de acerto manual sobre a focagem automática, não é prática de manusear face ao pequeno tamanho do anel de focagem. Por falar nisso, a sua colocação, bem na parte da frente, implica algum cuidado para não bloquear a focagem automática ao segurar a objectiva uma vez que instintivamente é nesse ponto que tendemos a segurá-la e esse anel roda durante a focagem.
No entanto, o elemento óptico frontal e o local onde enroscam os filtros não rodam o que é uma boa notícia para quem costuma ou pretenda utilizar filtros, designadamente polarizadores! 
Quanto ao anel de selecção de zoom (distância focal) pessoalmente penso que poderia/deveria ser mais suave. (ainda bem que fiquei com esta objectiva durante bastante tempo para testes... retiro a frase que antecede e que constava do projeto inicial deste artigo! Após um breve período de utilização o dito anel ficou convenientemente suave!)
Existe ainda um botão seletor no corpo da objetiva que permite escolher entre Focagem Automática "AF" (com sobreposição manual "override") ou só Manual "MF". De igual modo, existe um seletor/comutador para que o sistema de redução de vibrações "VC" possa ser desligado. Esta função é útil, por exemplo, quando fotografámos com recurso a tripé (podem ver aqui o porquê - abre em novo Link) 

Com o parasol em forma de pétala acoplado (fornecido de origem)


Esta 18-200mm é dotada de "motorização interna" pelo que é, assim, compatível com todas as câmaras Nikon atualmente em comercialização, desde as de entrada de gama como as da série 3xxx, passando pelas da série 5xxx, bem como, claro está, todas as outras das restantes gamas.
Com algumas câmaras Nikon pode ocorrer um fenómeno idêntico a um "descentrar" momentâneo da imagem observada através do visor óptico quando carregámos no botão obturador. Tal, não constitui nenhuma anomalia. Deve-se à activação e desativação do sistema VC quando entra em funcionamento (ao ligar e a desligar). Aliás, este fenómeno é comum a outros modelos da marca. 



Construção:



Dotada dum atrativo e moderno design, comparativamente a outras objectivas "Ultra zoom" (mais caras) esta Tamron aparenta uma construção modesta e frágil. No entanto, apesar desta "aparência" frágil a objectiva tem um bom comportamento.
O seu baixo peso contribui para essa sensação. Por exemplo, em comparação, a Tamron 16-300mm f/3.5-6.3 Di II VC PZD (cujo "Review" pode ser visto aqui - abre em novo Link), uma compacta zoom de maior amplitude focal que esta 18-200mm, aparenta e transmite uma maior sensação de robustez. O Peso é outro (+140g) e o preço também! Como acima já ficou dito, custa cerca de 2.5 vezes mais... 
No entanto, existem alguns pormenores que gostei na nova 18-200mm f/3.5-6.3 Di II VC: Não existem barulhos internos quando abanámos a objectiva e os anéis de focagem e de "zoom" não apresentam folgas.
O reduzido peso e tamanho, aliados à sua capacidade do fotografar cenários variados são fatores que  fazem com que esta compacta "megazoom" generalista seja ideal, entre outras situações, por exemplo, para levar para férias ou viagens. 
A grande amplitude focal (dos 18 aos 200mm - equivalentes em formato FX ou Full frame a 27-300mm) possibilita fotografar uma série de temas... retrato, paisagem... No entanto, a abertura máxima desta objectiva nos 200mm (f/6.3) acaba por limitar, de certa forma, a fotografia em condições de pouca luz ou desporto.


Fugindo à tradição, a Tamron não dotou esta 18-200mm F/3.5-6.3 Di II VC dum encaixe metálico.
Em contrapartida, o anel de borracha (pouco usual nesta gama) protege a ligação desta com a câmara em condições adversas.


Quando chega uma nova objetiva para testes, a primeira coisa que costumo fazer é uma rápida inspecção visual de modo a observar a qualidade dos acabamentos e construção. Devo dizer que fiquei algo desgostoso de não ver o tradicional aro de montagem em metal... pois é, nesta Tamron 18-200mm o anel de acoplamento à câmara é de plástico. Embora a objectiva seja extremamente leve, não exija grande esforço na área de montagem e a marque reivindique que se trata duma liga robusta e durável... não deixa de ser de "plástico" e de conferir um aspeto barato à objectiva.

Pelo contrário, gostei de ver, numa objectiva tão barata, o anel de borracha que envolve a zona de acoplamento à câmara! Essa pequena borracha garante um melhor isolamento entre a objectiva e a câmara suportando a sua utilização em condições meteorológicas adversas.


Existe um botão de "travagem" de zoom nos 18mm (extensão mais recuada do zoom) que facilita a arrumação e transporte. Penso que na maioria das vezes será dispensado o seu uso pois o zoom, mesmo com a objectiva na posição vertical, é suficientemente "preso". 

Um útil parasol em formato de pétala também é fornecido de origem com a objectiva. 




Em utilização: 


Como acima já ficou dito, fruto do seu pequeno peso e tamanho, esta compacta zoom pode ser a objectiva ideal para aqueles que não gostam de "andar sempre a trocar de objectiva" e pretendam fotografar uma  diversidade de temas sem ter de "carregar" muito peso!



No máximo da distância focal, esta Tamron continua a ter reduzida dimensão sendo uma objectiva muito compacta


Em situações de pouca luz, a abertura lenta desta objectiva pode limitar a aquisição de focagem e uma insuficiente velocidade de obturação. Felizmente as câmaras mais recentes conseguem manter, subindo o valor ISO, bons resultados finais. É com base nesse pressuposto e graças ao excelente trabalho do sistema "VC" que se ultrapassa essa limitação.

Sistema de estabilização "VC":
Apesar deste pequeno vídeo demonstrativo ter sido já publicado, torno a incorporá-lo, agora, neste artigo de opinião. 






Qualidade óptica:
OBS:
As imagens de teste abaixo publicadas foram captadas a punho com uma Nikon D2x e não contém qualquer edição. Encontram-se tal e qual os ficheiros originais apenas com conversão de RAW para JPG e redimensionamento (sem qualquer "sharpening")


Globalmente, a qualidade óptica desta 18-200mm da Tamron é mais que suficiente para satisfazer as expectativas dos fotógrafos sem pretensões a uma exigência e qualidade "profissionais". Aliás, este foi um dos aspetos que me surpreendeu.

Em testes comparativos com a Nikkor 18-200mm VR I (uma objectiva de referência no mercado neste segmento), os resultados finais cifraram-se muito próximos entre os dois modelos (pode ser visto aqui o respectivo artigo comparativo - abre em novo Link)
Nos testes efetuados, os resultados em que o recorte/nitidez foram menores foram os obtidos no máximo distância focal (a 200mm, principalmente com focagem ao infinito). Nesse caso, em conjugação com a abertura máxima (f/6.3), as imagens apresentam contornos algo suaves.
Exceptuando essa situação, as imagens produzidas pela objetiva apresentam uma boa definição. 



Aberrações cromáticas:




De maneira geral, as aberrações cromáticas estão bem controladas. Só no limite da distância focal - os 200mm (e em determinadas condições como, por exemplo, contra-luz) é perceptível este fenómeno. Portanto, ponto positivo! 


Cor/contraste:

Surpreendente bom contraste e boa saturação de cor! As imagens produzidas apresentam cores vibrantes e intensas.


Reflexos:

Apesar dos revestimentos ópticos destinados a minimizar o problema, mesmo com a utilização do parasol, esta Tamron 18-200mm é propensa à ocorrência de reflexos. Principalmente nas distâncias focais que proporcionam maior ângulo de imagem. Basicamente, até ao marco dos 35mm. Para que seja bem interpretado, chamo a atenção que o exemplo acima (@ 18mm) é fruto duma captura em condições limite e pouco aconselhadas (contra-luz)! Desde que tenhamos algum cuidado na altura das capturas, nomeadamente evitando direccionar directamente a frente da objectiva para o sol, poderemos minimizar (ou evitar) os indesejados efeitos "reflexos fantasma". Por vezes, sem afetar o enquadramento pretendido, basta um pequeníssimo ajuste na posição da objectiva para evitar este problema.


Recorte/nitidez:

Globalmente muito bom. Com ressalva para o limite dos 200mm a plena abertura, onde os resultados são algo suaves, conseguem-se imagens com pormenores surpreendentemente bem detalhados nas restantes distâncias focais. 
Quanto à abertura do diafragma, pelos testes que efetuei, os melhores resultados ocorrem com a utilização de aberturas entre os f/8~f/11.

Distorções de imagem:
As zoom "generalistas" de grande amplitude focal acabam sempre por representar um compromisso entre a polivalência que oferecem em termos de alcance e a distorção (ou, melhor, isenção desta) que conseguem manter ao longo da variação de distâncias focais. Apesar de genericamente bem controlada, nesta Tamron 18-200mm, esse fenómeno também não é exceção e existe uma ligeira tendência para distorcer as imagens em forma de barril até aos 30mm e de forma convexa acima dessa distância focal. A menos que seja nossa intenção efetuar fotografias arquitectónicas não nos devemos preocupar com isto pois na maioria das aplicações não serão detectadas quaisquer distorções.


Escurecimento dos cantos da imagem (Fall off):

Embora nada preocupante, existe uma tendência para um ligeiro escurecimento dos cantos quando utilizada a plena abertura.


Bokeh:



Apesar do diafragma desta objectiva possuir apenas 7 lâminas a sua configuração redonda ajuda a obter um desfoque agradável e suave.


Imagens de exemplo:

Duas imagens com a Tamron 18-200mm Di II VC


Nikon D300 + TAMRON 18-200mm f3.5-6.3 Di II VC
@ 26mm, f/9, 1/200 seg., ISO 200, Medição Matricial
Nikon D300 + TAMRON 18-200mm f3.5-6.3 Di II VC
@ 40mm, f/10, 1/200 seg., ISO 200, Medição Matricial





  

Resumo e conclusões:
Atendendo à versatilidade, à qualidade geral e ao preço, os compradores desta objetiva certamente não ficarão despontados. Dentro das opções existentes no mercado deste género de objectivas zoom genéricas não tenho dúvidas que esta será uma das que apresenta uma melhor relação preço/qualidade!



Controle de vibrações eficaz e muito silencioso
Focagem rápida, precisa e silenciosa
Compacta e muito leve
Qualidade óptica geral (alguma falta de recorte no extremo da distância focal)
Contraste e cor
Preço extremamente competitivo

-
Construção (encaixe de plástico/aparência frágil)
Controle de reflexos
Vinhetagem
Focagem manual


Mais informações acerca desta objectiva (e outros equipamentos fotográficos): Site oficial do representante da marca TAMRON para Portugal e Espanha - A Robisa (abre em novo Link)

Qualidade Óptica
★★★★
Qualidade de Construção
★★★☆☆
Versatilidade
★★★★★
Manuseamento
★★★☆☆
Valor
★★★★

3 comentários:

Francisco Gomes disse...

Olá boa tarde. Estou a pensar adquirir esta objectiva e pelo que li, fiquei convencido até porque não sou profissional mas também não queria adquirir um chasso, mesmo barato, que me desse imagens tipo caixote dos anos 50. A variação focal dos 18-200mm servirá para substituir uma lente Canon EFS 18-55mm 1:3.,5-5.6 II (velhota) que, por descuido imperdoável - acontece a muitos -, caiu ao chão e porque tem um anel também em plástico, partiu-se e soltou-se em dois pontos dos parafusos de fixação. Não sei se vale a pena o conserto mas esta lente é a que mais utilizo dado que tenho um Blogue de culinária e utilizo-a sempre em modo vídeo. E já agora que toquei n o assunto, acha que vale a pena mandar arranjar a lente? Obrigado e a continuação do excelente trabalho.

Jose Loureiro disse...

Olá caro Francisco.
Dependendo dos "danos", poderá valer a pena o conserto.
A baioneta por si só, não é assim tão onerosa. a questão é se não está afectada mais nenhuma funcionalidade... sistema de focagem, por exemplo...mas isso, levando a uma casa técnica logo lhe dizem e lhe dão um orçamento.
Em todo o caso, se não possui uma teleobjetiva, a 18-200mm permite-lhe uma maior flexibilidade para a fotografia doutros temas e mesmo uma abordagem mais variada na questão da fotografia temática "culinária".

Eduardo disse...

Sou fotografo há cerca de 20 anos, e entre várias lentes e corpos, tenho esta Tamron 18mm 200m VC, que uso numa Nikon D300, e estou bastante satisfeito com os resultados...tenho também a Nikon D750 mas essa para trabalho. Se procura versatilidade, sem grandes compromissos de qualidade, e mudanças de lentes, aconselho-a vivamente.
Abraços