Samyang 8mm CS II Fisheye | "Compatibilidade" com formato FX (Full Frame)




Construídas especificamente para fotografar com câmaras de sensor de formato DX, rapidamente os fabricantes deste tipo de objetivas Fisheye se aperceberam que a sua utilização era também apreciada pelos possuidores de câmaras FX (Full frame). Sendo uma objectiva muito particular no que toca a conceitos estéticos, este tipo de objectivas "Fisheye" acabam por ser a companhia ideal para explorar ideias e conseguir fotografias criativas.
A sua utilização em FX vem ainda reforçar mais esa característica! Apesar da sua compatibilidade com este formato ficar prejudicada pela impossibilidade de registo do cenário por todo o fotograma consegue-se, por outro lado, englobar ainda uma maior porção do mesmo!



Todavia, para que isso aconteça torna-se necessário remover o parasol. Por essa razão, esta nova Samyang 8mm CS II, contrariamente à sua anterior versão, possuí um parasol removível em vez de integrado. Portanto, para formar "aquela" imagem quase circular já não precisamos de recorrer a meios mais drásticos (como serrar) para o retirar!

Ao lado:
As duas versões - A Samyang CSII cujo parasol é removível e a versão anterior cujo parasol é fixo.







A título de exemplo e como demonstração, em cima poderão observar as três possibilidades de utilização (com as inerentes limitações), da Samyang 8mm Fisheye, com câmaras DX (APS-C) e FX (Full frame).

Da esquerda para a direita:
Primeira imagem - Registo tal como é reproduzida a imagem com a utilização em formato DX ou em câmaras FX com a opção "corte automático" para formato DX activada.
Segunda imagem - Registo em formato FX estando a objectiva com parasol montado
Terceira imagem - Registo em formato FX sem parasol

A Samyang 8mm CS II é uma objectiva Fisheye diagonal. Quer isto dizer que os 180º de ângulo são conseguidos diagonalmente. Por essa razão, quando utilizada sem parasol, em formato FX, não consegue reproduzir uma imagem totalmente circular tal como se trata-se duma Fisheye Circular. Com essas, sim, seria obtido um circulo completo. 
Claro está que as imagens produzidas desta forma contém sempre uma forte vinhetagem que acompanha toda a circunferência da imagem. Pode retirar-se em posterior edição mas, pessoalmente, acho que transmite coerência " às capturas.

Em baixo:

Exemplo duma captura em FX com a objectiva colocada verticalmente, praticamente direccionada para o chão:
(Exif: Nikon D800 + Samyang 8mm CS II Fisheye s/parasol @ f/10, 1/160 seg., ISO 100)




2 comentários:

Lopes disse...

Boa tarde,
Peço desde já desculpa porque não sei se estou no sitio certo para que colocar esta questão.
Tenho uma Nikon D7100 que adquiri recentemente em 2º mão e queria adaptar uma lente manual Pentax K. Existe adaptador no mercado, mas segundo tenho lido não dá para focar no infinito, é verdade?
Aproveito para agradecer a sua partilha de conhecimentos, que muito me tem ajudado.
Lopes

Jose Loureiro disse...

Sim, isso é verdade... ou meia verdade... Se acoplar um dos vulgares adaptadores não conseguirá, efectivamente, focar ao infinito com a maioria das objectivas.
Todavia, existe também um adaptador com um elemento óptico "correctivo" que permitirá focar ao infinito. Simplesmente está a acrescentar mais "vidro" e isso tem consequências na qualidade final da imagem.