Macrofotografia "no terreno" com a Nikon D500 e a Tamron SP 90mm Macro 1:1 (F017)

Bem.... já andava com saudades de "fazer" algumas Macro!
Assim, um destes dias lá foi....sem grandes complicações e sem grandes preparativos, apenas levei comigo uma câmara, uma objetiva, um Flash externo e uma pequena softbox!


HORVATHIOLUS SUPERBUS
Nikon D500 + Tamron SP 90mm f/2.8 Di Macro 1:1 VC USD (F017) + SB-900 (c/mini Softbox): @ 1/60 seg., f/29, ISO 400


Para ser franco, penso que esta foi a primeira vez que utilizei a Nikon D500 em Macrofotografia... assim, não sei se a curiosidade maior era testar a câmara, neste tema, ou fotografar com o modelo mais recente da objetiva 90mm Macro da Tamron (nova série SP) que, apesar de já a ter há algum tempo, ainda não tem sido muito usada...

Comparativamente com o anterior, este novo modelo da SP 90mm (F017), apesar de não acrescentar mais nitidez de imagem (porque, quanto a isso, já todos os anteriores modelos 90mm Macro da marca eram excelentes), acaba por ser mais agradável de utilizar para fotografar. Uma das diferenças (significativa) reside numa melhor aquisição de focagem. Além dessa, também, o sistema de estabilização foi melhorado em relação ao anterior modelo e ajuda na captura de fotografias sem tripé (como foi o caso de todos os exemplos que ilustram este artigo).

Preferencialmente, com o objetivo de conseguir fotografias mais nítidas, deveríamos efetuar este tipo de fotografia com recurso a tripé. O problema e que, tal técnica, traduz-me duma diminuição, por um lado, da liberdade de movimentos e, por outro, pela perda de oportunidades... enquanto posicionamos o tripé os insetos, já eram!

Por isso, se pretendermos fotografar, com este tipo de objectivas Macro, Vida Selvagem, nomeadamente, pequenos insetos, existem dois factores que são sempre bem-vindos e deverão ser considerados na altura da escolha duma objetiva: Um eficaz sistema de estabilização e a escolha preferencial duma objectiva de maior distância focal sobre uma de menor distância focal. Quanto ao primeiro (sistema de estabilização), já acima ficou explicado porquê. Quanto ao segundo aspeto, embora a relação de reprodução (nível de "ampliação") que vamos conseguir com uma 60mm ou uma 90mm seja igual, as objetivas de maior distância focal permitem fotografar com maior distância de trabalho tendo, por isso, com a vantagem de não afugentar os insetos.
   


ASILIDAE ? (MOSCA ASSASSINA) (?)
Nikon D500 + Tamron SP 90mm f/2.8 Di Macro 1:1 VC USD (F017) + SB-900 (c/mini Softbox): @ 1/60 seg., f/29, ISO 400



Em utilização "no terreno", mesmo em zonas sombrias do bosque onde me encontrava, um dos aspetos que mais me agradou no "upgrade" do modelo antigo (F004) para o novo (F017) foi, precisamente, a significativa melhoria na eficácia de aquisição de focagem. Mesmo em condições de pouca luz, o que é normal acontecer frequentemente neste tipo de fotografia, a objectiva consegue adquirir focagem de maneira precisa e correta! 
Em conjunto com a câmara que utilizei (a Nikon D500) a tarefa de efetuar capturas deste tipo acaba por ser simplificada! 



GLAUCOPSYCHE MELANOPS (PINTINHAS)
Nikon D500 + Tamron SP 90mm f/2.8 Di Macro 1:1 VC USD (F017) + SB-900 (c/mini Softbox): @ 1/160 seg. (-0,3Ev), f/29, ISO 400


Para a captura das fotografias acima utilizei (apenas) um Flash externo (Nikon SB-900) montado diretamente na sapata da câmara com uma pequena Softbox (23x23cm). Pessoalmente, prefiro a utilização de um ou mais Flashs externos, ligados por cabo e/ou triggers, montados fora da câmara e direcionados a 45º para o que estamos a fotografar mas, sem ajudante, e sem tripé, isso não é exequível... não há mãos para tudo!


NEPHROTOMA QUADRIFARIA (?)
Nikon D500 + Tamron SP 90mm f/2.8 Di Macro 1:1 VC USD (F017) + SB-900 (c/mini Softbox): @ 1/60 seg., f/20, ISO 400


Ainda assim, cá fica esta última fotografia como exemplo duma captura segurando o Flash com a Softbox numa mão e a câmara apenas com a outra! 
A vantagem, sobre a utilização do Flash montado diretamente na câmara, reside numa melhor iluminação e, consequentemente, menos sombras. Neste caso, a Softbox foi colocada a cerca de 45º, lateralmente, ao nível da folha eliminando-se, assim, a sombra provocada pelo inseto caso a iluminação proviesse dum plano superior (ex: sapata da câmara). 

5 comentários:

Domingos disse...

Excelentes.
Abraço

Serafim Rocha disse...

Excelentes macros,de Mestre,mais fascinado fiquei com a performance desta objectiva. Fotos impecáveis.😉

Jose Loureiro disse...

Domingos e Serafim Rocha,
O meu obrigado pelos simpáticos comentários!

Vinícius Ferreira disse...

Belas fotos. Já experimentou os braços para flash? Ando pesquisando algum para a próxima saída.

Jose Loureiro disse...

Olá Vinícius;
Sim, os braços para Flash são uma boa ajuda.
O problema reside apenas nalgum desequilíbrio do conjunto que provocam no caso de utilizar-mos Softbox's pois tem de ser mais extensos de modo a permitir algum espaço para a sua montagem.
Mas, já vi alguns com a possibilidade de ter incorporado um punho no próprio sistema o que pode provocar algum peso extra mas deve ajudar bastante a manusear/equilibrar o conjunto.